Tratamento natural para mau hálito

Você possui hálito ruim? Pare de envergonhar-se. Sugestões de como conservar-se hidratado, comendo alimentos ricos em vitamina C e bebendo chá te auxiliarão a combater o incômodo bafo e a manter o hálito fresco.

1. Realize uma excelente higiene bucal:

Estudiosos alertam para a necessidade de se fazer um check-up bucal semestralmente e escovar os dentes, no mínimo, duas vezes por dia. Apenas escovar não manterá seus dentes sadios. Faça questão de utilizar fio dental. Enxágue com um bom enxaguante bucal. As pessoas não aguardam anos para substituir suas escovas, o que também é um hábito de limpeza.

2. Preserve-se hidratado:

acabar-mau-halito Preserve-se hidratado em todos as ocasiões a fim de garantir que o sistema de limpeza interno funcione suavemente. Consumir frutas cítricas ou sucos que proporcionam o descarregamento das toxinas é uma boa pedida.

3. Tome mais iogurte:

Análises verificaram que uma porção diária de iogurte comum e sem açúcar é capaz de eliminar o mau hálito. Tomar iogurte reduz o índice de sulfato de hidrogênio que é um composto encontrado na língua que ocasiona o mau hálito.

4. Sementes de erva-doce:

tirar-mau-halito Em certas ocasiões empregadas como aromatizador da boca, as sementes de erva-doce possuem características bactericidas para resguardar a boca das bactérias. Ou você pode ingerí-las cruas ou preparar chá de erva-doce. Isso irá auxiliar na produção de saliva que elimina as bactérias da boca.

5. Canela:

Mescle uma colher de chá de canela em pó com folhas de cardamomo e louro na água e lave a boca com ela. A canela tem um óleo intitulado aldeído cinâmico que minimiza a bactéria da boca.

6. Citrinos ou sucos:

Para uma boca ressecada, realize a ingestão de frutas cítricas como laranja, limão e tangerina que instigam a criação de saliva. A acidez nos limões dificulta principalmente o crescimento das bactérias e o cheiro forte esconde o mau cheiro. Apronte uma combinação de uma colher de sopa de suco de limão e sal com água e enxágue sua boca a cada dia ou após as alimentações.

7. Cravos-da-índia:

Têm propriedades bactericidas. Tal como a erva-doce, os cravos podem ser ingeridos crus ou tomados sob a forma de chá de cravo.

8. Salsa:

Outro remédio caseiro, a salsa contém clorofila para paralisar o fedor.
Acompanhe qualquer uma das duas maneiras de manuseá-la: mastigue as ervas de salsa fresca ou afunde-a em vinagre e, após isso, macere-o. Outro modo é extrair o suco das folhas de salsa e tomar. Também ajuda na digestão.

9. Maçã:

Na ocasião em que ingerimos uma maçã, a secreção salivar é estimulada. Isso, totalmente, molhará a boca e vai enxaguar as bactérias produtoras de mau cheiro, tornando a respiração refrescante.
Caso o seu péssimo hálito persista, mesmo depois destas dicas, você tem que consultar seu dentista. Tratar o péssimo hálito através de técnicas convencionais, como o emprego de enxaguante bucal não é uma alternativa duradoura. Você, decididamente, carece de uma substituição de rotina.

Qual é a causa do mau hálito?

Dizem que a primeira impressão é a que fica. Você iria gostar de ser retido na memória de qualquer pessoa por suas qualidades e não em razão de sua ínfima higiene bucal.
De acordo com estudiosos, o péssimo hálito é uma questão que todas as pessoas enfrentam e não existe nada de constrangedor nessa situação. Você pode não estar consciente disto, pois você não pode reconhecer seu próprio fedor e a maior parte das pessoas não gosta disso. Você não é capaz de, sequer, perceber que está com hálito ruim, uma vez que está tão familiarizado com isto.
mau-halito Você é capaz de não conhecer, como também existe um exame para perceber caso você encontre-se com mau hálito. Basta lamber o punho e, após dez segundos, o cheirar. Se o odor é desagradável, você é vítima de Halitose ou péssimo hálito. Então, primeiramente, você necessita descobrir o que está fazendo com que você manifeste o problema. Especialistas afirmam que uma limpeza bucal ruim e cáries são algumas das razões.
Já problemas de saúde como desnutrição, diabetes, boca ressecada, sinusite e problemas gastrointestinais também provocam a Halitose. Os estudiosos relatam que as razões mais populares de mau hálito:

1. Péssima higiene bucal:

Esta é a causa mais habitual, mas convenientemente desprezada, do hálito ruim. Não escovar os dentes ou não utilizar fio dental frequentemente, principalmente à noite, pode desenvolver placa nos dentes inflamando as gengivas e, eventualmente, desenvolvendo bolsas entre os dentes e gengivas. Algumas bactérias ocasionadoras de cheiro desagradável são encontradas na língua que liberam gases de enxofre responsáveis pelo cheiro ruim.

2. O que você está comendo:

mau-halito Refeições com forte odor ou sabor podem causar o famoso péssimo hálito. Dessa forma, comer alho, cebolas e determinadas especiarias frequentemente podem desenvolver o respirar com cheiro forte. Cafeína e álcool com o seu aroma forte colaboram igualmente. O aroma fixa na sua boca e no momento em que a comida se mexe através do sistema, ele libera substâncias químicas que exalamos pelos pulmões. O fio dental e o enxaguante bucal ocultam provisoriamente o cheiro ruim.

3. Fumar:

Se você fuma ou mastiga tabaco, os produtos químicos tendem a continuar na boca. Além de proporcionar esse cheiro forte, ele marca os dentes e minimiza a eficácia de perceber o sabor dos alimentos.

4. Boca seca:

Caso você consuma muita cafeína ou respira através da boca, é necessário repensar seus hábitos. Devido a isso, sua boca não está produzindo saliva suficiente para eliminar as células mortas que se ajuntam na língua e gengivas. Essas células mortas decompõem-se e fazem com que a boca fique com mau cheiro. O ronco ainda pode intensificar a boca ressecada que é uma causa do temido hálito ruim matinal.

5. Refluxo ácido:

É o fluxo atrasado de alimentos não digeridos ou ácidos do estômago no seu esôfago. Esses ácidos fluem de volta à garganta causando um gosto desagradável na boca. Isso surge sob o formato de arrotos e, logo, cheira mal.

6. Dietas de choque:

Seguindo uma dieta baixa em carboidratos ou o jejum, o corpo quebra a gordura que gera produtos químicos intitulados cetonas que podem ser liberados através das vias aéreas.

7. Doença crônica:

Em certas ocasiões, o mau hálito é resultado de problemas como diabetes, doença renal ou hepática e infecção do trato respiratório como pneumonia ou bronquite.

Desenvolva a escovação correta para seus dentes e a selecionar a escova de dente ideal

Para prevenir o desenvolvimento de cáries e da placa bacteriana em seus dentes, é importante escovar seus dentes ao menos 2 vezes ao dia, de maneira que uma delas tem necessidade de ser toda vez antes de adormecer, já que a noite existe maior probabilidade das bactérias se acumularem na cavidade bucal. Inclusive é crucial escovar os dentes após as refeições, especialmente após ingerir alimentos com muito açúcar, como chocolates ou pirulitos, por exemplo, escovando os dentes por, pelo menos, dois minutos.
Para escovar os dentes de maneira eficiente você tem que utilizar creme dental com flúor desde muito cedo e, especialmente, a escova de dentes conveniente. Eleger a escova dental pode parecer simples, mas nem todas as escovas podem fazer a purificação completa. Escovar os dentes com a escova de dente equivocada pode ser bastante prejudicial à sua saúde.

Qual a maneira perfeita de escovar seus dentes?

Para ter uma ideia do tempo preciso para uma ótima escovação, utilize um cronômetro na próxima vez que escovar seus dentes. Você precisa escovar os dentes com movimentos brandos e pequenos, com singular atenção para a borda da gengiva, para os dentes posteriores, difíceis de alcançar, e para as regiões posicionadas em torno de obturações e canais. como-escovar-os-dentes Concentre-se na higiene de cada setor da cavidade bucal, da seguinte maneira:
Escove as regiões voltadas à bochecha dos dentes superiores e, logo após, dos da parte de baixo.
Escove as superfícies interiores dos dentes superiores e, então, dos da parte de baixo. Logo em seguida, escove as regiões de mastigação. Para possuir hálito perfeito, escove também a língua, local onde diversas bactérias localizam-se alojadas.
Agarre a escova dental em um ângulo de 45ºC e escove com movimentações que vão da gengiva à borda dos dentes.
Exerça lentos movimentos circulares com a escova de dentes, escove a face voltada para as bochechas e a extensão interna dos dentes, e a área usada para mastigar.
Com deslocamentos brandos da escova de dentes, escove também a língua para retirar bactérias e purificar o hálito.

Que modelo de escova dental tenho de utilizar?

Selecionar a escova dental pode parecer incumbência simples, mas saiba que não é qualquer escova que fará uma perfeita limpeza. A grande parte dos dentistas concorda que a escova de dentes de cerdas macias é a mais adequada para a remoção da placa bacteriana e dos vestígios das refeições. As escovas de dente com cabeças menores inclusive são mais adequadas, pois alcançam satisfatoriamente todas as regiões da boca, como, por exemplo, os dentes posteriores. A opção da escova dental é um fator que pode fazer grande diferença no momento de escovar os dentes. Aprenda a escolher qual tipo é melhor para você! como-escovar-os-dentes
De acordo com a American Dental Association, uma escova de dente correta tem que apresentar certas propriedades, como: cabeça e hastes localizadas em um mesmo eixo, maciez, ser impermeável à umidade, de fácil limpeza e manipulação, ter ótima conservação e eficácia. Muitos modelos de escova se adequam nesses requisitos. E então, que escova dental comprar?

Saiba quais são os possíveis tipos de escovas dental

Na atualidade, há diversos modelos de escovas dentais. A cada uma delas possui um tipo de indicação. A escova de dente convencional, por exemplo, precisará de ser empregada de forma manual; a escova de dente para crianças, possui cerdas mais aveludadas e cabeça menor; porém a escova de dente elétrica, possui a cabeça arredondada e cerdas que rodam em inúmeras inclinações, e a escova dental ortodôntica, é ajustada ao equipamento, e por causa disso indicada para quem usa.

Escova dental X saúde

Todas as escovas de dente possuem a tarefa de desordenar a placa bacteriana, diminuindo as cáries, a enfermidade periodontal e a halitose. Estes problemas são ocasionados por microorganismos típicos achados no biofilme dos dentes. A retirada usual do biofilme supra e sub-gengival pode ser considerada a principal ação na conservação e tratamento destas enfermidades. Cada tipo de escova de dente, contudo, tem uma especificidade, contribuindo de forma individual no processo de remoção do biofilme. como-escovar-os-dentes
Apontamentos científicos comprovam que a saúde da boca tem íntima relação com a saúde como um todo, uma vez que a boca interatua com todas as estruturas corporais. Escovar os dentes é fundamental visto que, as péssimas condições de limpeza da boca podem gerar enfermidades orais, que, por sua vez, podem levar a outras enfermidades ou agravar outras enfermidades. Entre essas enfermidades estão as do coração e a diabetes.

Eleger a escova dental equivocada pode lesar sua boca

Escovas de dente bastante duras e rígidas são capazes de avariar as gengivas e os dentes. Isto é capaz de acarretar em doenças como sensibilidade dos dentes e sangramento gengival. Escovas de dentes com a cabeça bastante grande, em contrapartida, agridem os tecidos moles e prejudicam a higiene dos dentes posteriores, particularmente dos sisos. Por consequência, atente-se no momento de escolher sua escova dentária e consulte o seu dentista com relação ao que é melhor ao seu caso!

Escova de dente elétrica ou tradicional: qual é mais apropriada?

A maioria dos indivíduos fica em dúvida ao ter que escolher entre ambos tipos de escovas de dente. Desenvolvida nos Estados Unidos da América, no ano de 1961, pela fabricante Squibb, a primeira escova dental elétrica do mundo tinha design da Suiça e levou tempo para se popularizar. Mesmo depois de mais de cinquenta anos desde sua criação, muita gente ainda fica em dúvida na hora de decidir entre a escova de dentes tradicional e a elétrica.
Dezenas de apontamentos equipararam os dois modelos durante os anos a fim de encontrar qual é mais eficaz na função de escovar os dentes e promover a saúde da boca.
Uma análise feita na Universidade de Sheffield, na Inglaterra, concluiu que as escovas de dente com movimentos automáticos de rotação e oscilação são, verdadeiramente, mais eficientes para retirar a placa bacteriana além de diminuir a probabilidade de ter gengivite.
Em outra pesquisa, desta vez realizada por uma equipe do Hospital Frenchay, ainda na Grã-Bretanha, não foram achadas causas o suficiente para assegurar que o produto, de fato, limpe melhor os dentes. como-escovar-os-dentes
Mesmo entre os dentistas, não existe um consenso com relação a qual das duas alternativas disponíveis no mercado é mais adequada. Isso não impede grande parcela dos dentistas de reconhecer os proveitos das escovas dentais elétricas. Elas são bastante sugeridas para indivíduos que apresentam dificuldades de locomoção, por exemplo. A padronização nos movimentos é outro diferencial do modelo elétrico. Determinados equipamentos, capazes de realizar oscilações e rotações automaticamente, funcionam de forma semelhante à limpeza exercida pelo dentista (entretanto não substituem as checagens).
Apesar disso, há inclusive determinadas desvantagens nas escovas dentais elétricas. Movimentos impróprios e força abusiva podem causar agravos, machucando a gengiva e enfraquecendo os dentes. Fortuitamente, várias escovas de dente elétricas já são produzidas com sensores capazes de advertir o péssimo uso.
No momento de escolher entre a escova dental elétrica e a escova de dente convencional, o ideal é dialogar com o seu dentista para escolher conjuntamente se a obtenção irá valer a pena para você. Sendo elétrica, sendo tradicional, o crucial mesmo é recordar-se de que uma ótima saúde bucal depende de constância e periodicidade com que se escova os dentes e de movimentos realizados corretamente, além do uso do fio dental.

Como escovar os dentes do recém-nascido

A limpeza da gengiva é uma fantástica maneira de habituar seu filho a esse ritual e evitar que ele recuse escovar os dentes no porvir. Para que você nunca se esqueça da limpeza, incorpore o hábito à rotina de cuidados do neném à noite, antes de dormir.
Recorde-se de que, ao passo que os dentes estão nascendo, as gengivas ficam bastante frágeis, então limpe com muita delicadeza. Não deixe de limpar por medo de lesionar o neném, pois, na realidade, esse cuidado minimiza contaminações na região, levando ao alívio.
No começo, várias mães acham mais simples limpar os dentes do bebê com gaze ou com um paninho enrolado no dedo. Uma dedeira, vendida em farmácias e lojas específicas, também é capaz de ser uma ótima alternativa, desde que você faça uma excelente limpeza na peça (ela precisará de ser purificada com a mesma assiduidade que chupetas e mamadeiras, por exemplo). Existem ainda lencinhos específicos para essa higiene, porém eles são dispensáveis.
Faça a transição para a escova de dentes na ocasião em que os primeiros dentes aparecerem. A primeira escova de dente da criança deve possuir cerdas macias e uma cabeça pequena, que permita alcançar tranquilamente todas as partes da cavidade bucal. Verifique na embalagem a idade aconselhada para o uso. Observe outras orientações:
Escove os dentes do bebê duas vezes ao dia, pela manhã e antes da hora de adormecer.
Utilize uma quantidade mínima de pasta com flúor (que só “suje” a escova de dentes; como referência pense em algo semelhante a meio grão de milho)
Faça movimentos de escovação suaves tanto nas paredes internas como nas externas dos dentinhos. Jamais se esqueça da língua, para não existir ajuntamento de micróbios que causam mau hálito. Como a quantia de pasta de dente é realmente bem pequena, não existe precisão de enxágue (mas, crie o costume assim que o bebê for capaz de cuspir).
Altere a escova de dente logo que as cerdas começarem a se desgastar ou a entortar
Por enquanto, os dentes do recém-nascido possuem espaço o bastante entre eles, devido a isso, você não necessita se preocupar com fio dental. A maior parte dos dentistas sugere que o emprego do fio comece a partir do período em que os dentes passarem a encostar uns nos outros.

Bateu um mau hálito. Medidas

Quem nunca teve aquela insegurança, ao dialogar com alguém, de encontrar-se com um mau hálito? O hálito ruim, chamado medicamente de halitose, pode surgir de péssimos costumes de saúde dentária e é capaz de ser sinal de outros problemas de saúde. O hálito ruim ainda pode piorar de acordo com a variedade de alimentos que você consome e outros comportamentos de vida nada apropriados.

Fique esperto ao que você ingere

Resultado de imagem para onionBasicamente, todos os alimentos consumidos começam a ser “triturados” em sua cavidade bucal. Se você se alimentar de comidas com cheiros intensos (como alho ou cebolas), e então escovar e usar fio dental, ou até mesmo lavar a boca, irá unicamente cobrir o odor provisoriamente, ele não irá desaparecer totalmente.
Caso você não escove os dentes todos os dias, vestígios de alimentos podem continuar em sua cavidade bucal, originando o aumento bacteriano entre dentes, em torno das gengivas e na língua. Isso causa o péssimo hálito. Os enxaguantes bucais antibacterianos são capazes de auxiliar a diminuir os micróbios, contudo não resolvem o problema. Além do mais, quem usa próteses tem que conservá-las higienizadas a fim de não criar um espaço propício para as bactérias causadoras de mau hálito.

Tabaco é um perigo

Tragar ou morder produtos à base de tabaco inclusive tem probabilidade de ocasionar mau hálito, manchar os dentes, minimizar a sua possibilidade de sentir o gosto dos alimentos, bem como causar irritação nas suas gengivas.
O hálito ruim duradouro ou o mau gosto na cavidade bucal pode ser um aviso de enfermidade das gengivas ou periodontal. Esta doença é gerada pelo excesso de placa nos dentes. Como as bactérias causam uma formação de toxinas que irritam as gengivas. Caso não seja cuidada, esta doença alcança a mandíbula.
Outros fatores do péssimo hálito são os aparelhos dentários mal instalados, inflamações bucais por bactérias e cáries dentárias.

Cavidade bucal seca também é problema

A situação médica de boca seca também tem grande chance de causar hálito ruim. A baba é importante para a cavidade bucal paralisar a placa bacteriana e limpar células mortas que se ajuntam na língua, gengivas e bochecha. Essas células se decompõem e podem causar péssimo hálito. Uma cavidade bucal seca é capaz de ser efeito colateral de vários medicamentos, problemas das glândulas salivares e respiração progressiva por intermédio da boca.
Muitas outras doenças podem causar o hálito ruim. Contaminações respiratórias, como pneumonia ou bronquite, infecções crônicas, diabetes, refluxo crônico e problemas no fígado ou nos rins.

O que é possível fazer com o intuito de evitar o péssimo hálito?

O mau hálito pode ser diminuído ou inclusive acabado, para tal fim, realize uma ótima higiene bucal. Escove os dentes ao menos duas vezes ao dia. Use creme dental com flúor para tirar sobras de comida e placa bacteriana. Lembre-se de escovar a língua inclusive. Substitua sua escova de dentes a cada dois ou três meses. Use fio dental ou um limpador interdental uma vez diariamente para eliminar parcelas de refeições acumuladas e placas. Lave a cavidade bucal com enxaguante antibacteriano duas vezes ao dia. Quem usa dentaduras deve tirá-las à noite e limpá-las atentamente antes de botá-las na cavidade bucal no outro dia.

Visite seu dentista constantemente

saude-dental-mau-halito O conveniente é ir ao dentista pelo menos duas vezes anualmente. Ele irá realizar um exame oral e limpeza profissional dos dentes e será capaz de constatar e tratar doenças periodontais, boca seca ou outros problemas que possam ser motivo de hálito ruim.

Saiba preservar sua Gengiva

Um recente estudo liga a doença das gengivas com um crescimento no risco de crescimento de vários tipos de câncer em mulheres posteriormente à menopausa, até naquelas que nunca foram fumantes.
A denominada doença periodontal foi relacionada a um risco 14% maior de desenvolvimento de qualquer perfilde tumor maligno, esclareceram os cientistas. Contudo o mais normal viria a ser o câncer de esôfago, 3 vezes mais esperado de afetar mulheres mais velhas que mostravam enfermidade das gengivas em comparação àquelas que jamais tiveram problemas na cavidade bucal.
Além do mais, a enfermidade das gengivas inclusive foi relacionada a um risco maior de manifestação de câncer pulmonar, câncer de vesícula biliar, melanoma e câncer de mama, de acordo com que evidenciaram os dados, mesmo em mulheres que jamais tiveram contato com cigarros.

Nova forma de prevenir o câncer

gengivas-saudaveis-reduzem-risco-cancer Estas descobertas podem oferecer uma nova maneira de se trabalhar na prevenção do câncer, absolutamente relacionada à higiene bucal e ao tratamento e à prevenção da enfermidade periodontal, consoante estudiosos.
Ainda que a doença das gengivas seja correlacionada também a doenças cardiovasculares, não se compreende propriamente o motivo verdadeiro de o problema estar associado a um risco aumentado de aparecimento de câncer, reiteram os especialistas. Especula-se que a enfermidade das gengivas poderia ser um marco à saúde como um todo.
Mesmo assim, existe verdadeiro perigo de infecção local e sistemática procedente de bactérias na cavidade oral chegando a outros lugares mediante a absorção ou inspiração, assim como de microrganismos infiltrando na corrente sanguínea por meio de tecidos orais.
Como esse estudo não comprovou uma interação direta de causa e efeito, uma pesquisa projetada para encontrar especificamente a falta de higiene oral e a conexão com câncer seria capaz de ajudar a estabelecer o que estaria vinculando os dois, afirmaram cientistas.
Para o estudo, os pesquisadores pegaram dados em cerca de 66.000 mulheres, com idade entre 54 e 86 anos. As mulheres relataram enfermidade das gengivas em questionários entre 1999 e 2003. Os estudiosos monitoraram os resultados do câncer até setembro de 2013. Neste período, os cientistas identificaram quase 7.200 ocorrências de câncer.
Segundo especialistas em odontologia e câncer, uma restrição do estudo é que as mulheres auto relataram sua enfermidade de gengiva. De acordo com os especialistas, pode haver uma conexão entre a enfermidade e o câncer, porém eles não são capazes de dizer o quão forte é esta relação visto que a periodontite foi autorrelatada.
Mais pesquisas são fundamentais para efetivamente precisar a conexão. Apesar disso, os cientistas declaram que se você eliminar a enfermidade periodontal ou doença das gengivas você é capaz de diminuir seu risco de ter câncer.
As pessoas precisam estar atentas para os sintomas reveladores de doença das gengivas, a entender, hemorragia nas gengivas no momento em que você escova e solta os dentes, ele aconselhou.
De acordo com a Dra. Stephanie Bernik, chefe de oncologia cirúrgica do Lenox Hill Hospital, na cidade de Nova York, “as descobertas neste estudo com certeza assinalam para a necessidade de investigar bem mais a associação entre enfermidade periodontal e câncer”.
O link pode não ser direto, contudo pode ser meramente que aqueles com fraca limpeza oral possuam menos possibilidades de se cuidar de outras formas, ela asseverou.
“Possivelmente aqueles com má higiene bucal tenham dietas sem nutrientes, com excesso de peso, falta de exercícios ou bebidas em excesso, o que revelou aumentar o risco de câncer”, esclareceu Bernik.
O relatório foi publicado em 1 de agosto na revista Cancer Epidemiology, Biomarkers & Prevention.